Hoje é 20 de junho de 2024. Dia do Revendedor; do Vigilante; do Refugiado; Início do Inverno e dia do Advogado Trabalhista # Futebol: O Botafogo empata com o Athletico Paranaense e mantém a liderança do Brasileirão # Hoje jogam Flamengo x Bahia e Palmeiras x Bragantino. Na LBF, as meninas do Sampaio Basquete venceram o Sodie Mesquita de 77 a 53.
Hoje é 20 de junho de 2024. Dia do Revendedor; do Vigilante; do Refugiado; Início do Inverno e dia do Advogado Trabalhista # Futebol: O Botafogo empata com o Athletico Paranaense e mantém a liderança do Brasileirão # Hoje jogam Flamengo x Bahia e Palmeiras x Bragantino. Na LBF, as meninas do Sampaio Basquete venceram o Sodie Mesquita de 77 a 53.
+32
°
C
+32°
+25°
São Luís
Domingo, 12
Ver Previsão de 7 Dias

junho 2024
DomSegTerQuaQuiSexSáb
      1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829

Todos os presidentes do Brasil

O Brasil teve entre seus governos presidencialistas algumas situações inusitadas, como por exemplo, dois impeachment – Collor de Melo  e Dilma Rusself -; um pedido de renúncia (Jânio da Silva Quadros, no dia 25 de agosto de 1961); uma fuga e abandono do cargo (João Goulart); duas mortes de presidentes eleitos que não chegaram a tomar posse (Rodrigues Alves, que iria assumir seu segundo mandato e Tancredo Neves). Outra situação atípica aconteceu com Júlio Prestes. Eleito presidente deveria ter sucedido Washington Luís. Mas por causa da revolução de 1930, ele nunca chegou a tomar posse. O Brasil teve ainda duas juntas militares no poder. A primeira em 1930 composta pelos generais Augusto Tasso Fragoso e João de Deus Mena Barreto e pelo almirante José Isaias de Noronha. A segunda, convocada as pressas pelos militares por causa da doença grave que fora acometido o presidente Costa e Silva, aconteceu em 1969 e foi constituída pelos generais Aurélio de Lira Tavares, Augusto Rademaker e Márcio de Sousa MeloO Brasil teve entre seus governos presidencialistas algumas situações inusitadas, como por exemplo, dois impeachment – Collor e Dilma -; um pedido de renúncia (Jânio da Silva Quadros, no dia 25 de agosto de 1961); uma fuga e abandono do cargo (João Goulart); duas mortes de presidentes eleitos que não chegaram a tomar posse (Rodrigues Alves, que iria assumir seu segundo mandato e Tancredo Neves). Outra situação atípica aconteceu com Júlio Prestes. Eleito presidente deveria ter sucedido Washington Luís. Mas por causa da revolução de 1930, ele nunca chegou a tomar posse. O Brasil teve ainda duas juntas militares no poder. A primeira em 1930 composta pelos generais Augusto Tasso Fragoso e João de Deus Mena Barreto e pelo almirante José Isaias de Noronha. A segunda, convocada as pressas pelos militares por causa da doença grave que fora acometido o presidente Costa e Silva, aconteceu em 1969 e foi constituída pelos generais Aurélio de Lira Tavares, Augusto Rademaker e Márcio de Sousa Melo. O atual presidente é Luiz Inácio Lula da Silva, eleito para seu terceiro mandato.

01 – DEODORO DA FONSECA 1889 – 1891 – Ficou conhecido por ser o primeiro presidente. Ele não foi eleito democraticamente, foi escolhido pelos revolucionários. Liderou o governo provisório e organizou nova república, preparando as leis principais do país.
02 – FLORIANO PEIXOTO 1891 – 1894 – Floriano Peixoto sucedeu a Deodoro da Fonseca quando este se demitiu. Ele também não foi eleito pelo voto popular mas ajudou a estabilizar um pouco o país, que estava em um estado caótico depois da revolução.
03 – PRUDENTE DE MORAIS 1894-1898 – Prudente era prudente. Foi o primeiro presidente eleito pelo povo brasileiro e também o primeiro não militar. Ele diminuiu o poder do exército no governo e usava diplomacia e não guerra para resolver conflitos.
04 – CAMPOS SALES 1898-1902 – O foco principal deste presidente era a estabilidade. Ele negociou com os bancos ingleses para mudar o pagamento da grande dívida externa do Brasil. Também fez esforços e tirar o país da crise econômica.
05 – RODRIGUES ALVES 1902-1906 – Enfrentou algumas revoltas mas teve bastante sucesso como presidente. Organizou grandes obras na cidade de Rio de Janeiro e desfrutou de uma economia forte. Foi no seu mandato que o Acre se tornou parte do Brasil.
06 – AFFONSO PENNA 1906-1909 – Affonso Penna organizou a construção de vários caminhos de ferro, que facilitaram o transporte dentro do país. Também apoiou a povoação do país, com a ajuda da imigração. Antes foi governador de Minas Gerais.
07 – NILO PEÇANHA 1909-1910 – Nilo Peçanha assumiu a presidência quando Affonso Penna morreu. Seu governo foi curto e marcado por instabilidade política, mas ele ainda conseguiu criar o órgão que antecedeu a atual Funai.
08 – HERMES DA FONSECA 1910-1914 – O governo de Hermes da Fonseca foi marcado por várias revoltas civis e militares. Enfrentou problemas econômicos e renegociou a dívida externa. Foi em seu governo a Revolta da Chibata, dos marinheiros.
09 – VESCESLAU BRAZ 1914-1918 – Venceslau Braz enfrentou vários conflitos durante seu mandato, que coincidiu com a 1ª Guerra Mundial. Mas os conflitos mais complicados que ele teve de resolver foram entre militares e entre estados brasileiros.
10 – DELFIM MOREIRA 1918-1919 – Delfim Moreira assumiu o cargo de presidente apenas temporariamente, até se realizarem novas eleições. Ainda assim realizou algumas reformas no Código Civil. Seu pai era português, nascido em Vila do Conde/Porto.
11 – EPITACIO PESSOA 1919-1922 – Quando ganhou as para presidente, ele estava em França, participando do Tratado de Versalhes, que terminou a 1ª Guerra Mundial. Epitácio tentou melhorar a situação do Nordeste, que sofria com a falta de água.
12 – ARTUR BERNARDES 1922-1926 – O mandato de Artur Bernardes foi marcado por uma guerra civil em Rio Grande do Sul e revoltas militares. Foi também durante seu governo que o Brasil saiu da Liga das Nações, que deu origem a atual ONU.
13 – WASHINGTON LUIZ 1926-1930 – Construiu várias estradas que facilitaram a circulação dentro do país. Seu mandato começou bem mas acabou em uma revolução. Foi o último presidente da República Velha e enfrentou a crise do café.
14 – GETULIO VARGAS 1930-1945 – Getúlio Vargas foi o presidente que esteve mais tempo no poder. Ele tomou o poder através da revolução de 1930. Como ditador reprimiu a oposição. Mudou a Constituição e foi o criador do chamado Estado Novo.
15 – JOSE LINHARES 1945-1946 – José Linhares foi presidente durante apenas 3 meses, entre a queda de Getúlio Vargas e a eleição de Eurico Gaspar Dutra. Ele ficou conhecido por colocar parentes no governo e inaugurar o nepotismo oficial.
16 – EURICO GASPAR DUTRA 1946-1951 – Com o apoio de Vargas, ele foi o primeiro presidente eleito no Brasil e atuou forte em desenvolver as infra-instrutoras essenciais que o país precisava. A Copa de 1950 foi realizada durante seu governo.
17 – GETULIO VARGAS 1951-1954 – Apesar de ter sido ditador, era muito popular e conseguiu ser eleito. Porém seu governo foi marcado por muita controvérsia e muita pressão para se demitir. A era Vargas terminou quando ele se suicidou, em 1954.
18 – CAFÉ FILHO 1954-1955 – Café Filho tinha sido vice-presidente e sucedeu Getúlio Vargas até a realização de novas eleições. Nesse tempo era simultaneamente presidente do Senado Federal. Seu governo durou pouco, afastado que foi por doença.
19 – CARLOS LUZ 1955 – 1955 – Carlos Luz foi o presidente que durou menos tempo no governo: apenas 3 dias. Ele foi forçado a deixar o posto por suspeita de não querer entregar o governo ao novo presidente eleito, no caso, Juscelino Kubitschek.
20 – NEREU RAMOS 1955-1956 – Nereu Ramos foi presidente durante menos de 3 meses, até a tomada de posse de Juscelino Kubitschek. Seu governo curto foi marcado pela instabilidade e o caos que se implantou no país pelo suicídio de Vargas
21 – JUSCELINO KUBITSCHEK 1956-1961 – Juscelino Kubitschek de Oliveira apostou muito no fortalecimento da economia do Brasil. Ele fez inúmeros investimentos, mas também acumulou muitas dívidas. O maior feito do seu governo foi construir Brasília.
22 – JANIO QUADROS 1961 – 1961 – Este herdou uma grave e insolúvel crise econômica. Por causa de sua atuação na Guerra Fria, negociando com capitalistas e comunistas, foi acusado de apoiar o comunismo. Sem apoio, se demitiu 7 meses depois.
23 – RANIER1 MAZILLI 1961- 1961 – Advogado, jornalista e político, foi presidente do Brasil em dois momentos na década de 60. Primeiro, após a renúncia de Jânio Quadros. Depois no lugar do então vice João Goulart, que estava em visita oficial à China.
24 – JOAO GOULART 1961-1964 – Teve um governo marcado por muita instabilidade política e econômica. Seus planos de reforma do país não deram certo. Acusado de tentar criar um regime comunista no Brasil, fugiu do país após a Revolução de 1964.
25 – RANIERI MAZILLI 1964 – 1964 – Mais uma vez, Paschoal Ranieri Mazzilli assumiu a presidência da República do Brasil. Desta vez, também por 13 dias, enquanto os militares que assumiram o poder, escolhiam um nome para presidente.
26 – CASTELO BRANCO 1964-1967 – O governo de Castelo Branco marcou o início da ditadura militar no Brasil, que durou até 1985. Ele mudou a Constituição, fechou o Congresso Nacional, instaurou a censura e aboliu todos os partidos políticos.
27 – COSTA E SILVA 1967-1969 – Aumentou a repressão à oposição e concentrou mais poderes. Reduziu ainda mais a democracia retirando direitos de quem fosse uma ameaça ao país. Seu mandato terminou quando teve derrame cerebral.
28 – GARRASTAZU MEDICI 1969-1974 – O governo de Médici ficou conhecido pelo “milagre brasileiro”. A economia do país cresceu muito e as condições de vida da população melhoraram. Mas também foi marcado pela repressão violenta e a tortura.
29 – ERNESTO GEISEL 1974-1979 – Geisel prometia, aos poucos, tornar o Brasil mais democrático. Mas, apesar disso, ele continuou a reprimir a oposição e gerar escândalo. Suas políticas evitaram o colapso da economia, mas com grandes dívidas.
30 – JOÃO FIGUEIREDO 1979-1985 – Último presidente do regime militar, João Baptista de Oliveira Figueiredo marcou a volta da democracia. Permitiu a existência de mais partidos e eleições livres. Seu governo também modernizou a agricultura do país.
31 – JOSÉ SARNEY 1985-1990 – Vice de Tancredo Neves tomou posse e governou em seu lugar. Restabeleceu a democracia, aprovou nova Constituição, promoveu eleições diretas e acabou com a repressão política. Perdeu para a inflação.
32 – FERNANDO COLLOR 1990 -1992 – Como presidente mais jovem do Brasil, Fernando Collor de Melo teve uma gestão marcada por políticas econômicas controversas. Não travou a inflação e foi em 1992, por corrupção, sofreu um impeachment.
33 – ITAMAR FRANCO 1992-1995 – Sendo o vice-presidente, Itamar Franco assumiu a presidência quando Collor foi afastado. Depois de algumas tentativas falhas para restaurar a economia, ele criou o Plano Real, que resolveu a crise de inflação.
34 – FERNANDO HENRIQUE 1995-2003 – FHC foi o primeiro presidente a servir por dois turnos seguidos. Ele continuou com o Plano Real, que estabilizou a economia. Mais tarde enfrentou outra crise econômica. Ficou marcado pelas privatizações.
35 – LULA DA SILVA 2003-2011 – Enquanto presidente, Lula era muito popular e conseguiu ser eleito duas vezes. Suas políticas diminuíram a pobreza e a desigualdade no país e conseguiram manter a economia estável. Mas foi acusado de corrupção.
36 – DILMA RUSSELF 2011-2016 – Eleita duas vezes, foi à primeira mulher a se tornar presidente do Brasil. Com a crise, perdeu popularidade. Organizou a Copa do mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Foi afastada por um impeachment.
37 – MICHEL TEMER 2016-2019 – Vice de Dilma, assumiu o poder quando ela foi afastada. Embora acusado de corrupção, seu governo foi marcado pela Operação Lava Jato, uma investigação em grande escala sobre corrupção entre os políticos brasileiros.
38 – JAIR BOLSONARO 2019 – 2023 – Eleito com uma ampla maioria dos votos, Jair Messias Bolsonaro se tornou popular por causa de seu discurso radical contra a corrupção e a criminalidade crescentes no Brasil. Não conseguiu se reeleger.
39 – LULA DA SILVA 2023 – Atual ocupante do Palácio do Planalto, Luíz Inácio Lula da Silva volta para o seu terceiro mandato. O petista tem como seu vice-presidente o paulista Geraldo Alckmin e a esposa Janja, como primeira-dama.