Hoje é quinta-feira, 18 de julho de 2024 # Ontem pelo Brasileirão, o Botafogo ganhou do Palmeiras de 1x0 e o Vaso derrotou o Atletico de Goiás também de 1x0. Pela LBF o Sesi Araraquara ganhou das meninas do Sampaio Basquete de 69 a 48.
Hoje é quinta-feira, 18 de julho de 2024 # Ontem pelo Brasileirão, o Botafogo ganhou do Palmeiras de 1x0 e o Vaso derrotou o Atletico de Goiás também de 1x0. Pela LBF o Sesi Araraquara ganhou das meninas do Sampaio Basquete de 69 a 48.
+32
°
C
+32°
+25°
São Luís
Domingo, 12
Ver Previsão de 7 Dias

julho 2024
DomSegTerQuaQuiSexSáb
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031   

Maersk põe em operação o Triple E, maior navio cargueiro do mundo

O navio Maersk classe Triple E, é o maior navio cargueiro e porta contêiner do mundo, lançado este ano, tem capacidade para carregar 18 270 contêineres. Este gigante tem 400 metros de comprimento e 59 de largura. Pesando 52.859 toneladas, é mais de cinco vezes mais pesado do que a Torre Eiffel. O Triple-E é composto de 425 blocos, sendo que cada parte do navio, desde alojamentos até a sala de máquinas, são compostos por esses pedaços tridimensionais que quando colocados juntos o completam.

Todo o processo de construção, desde o corte de aço inicial até a entrega do navio, leva 375 dias por navio. Os navios Triple-E não são construídas uma de cada vez, mas três de uma vez em um programa de produção de rolamento em docas secas e flutuantes. A primeira fase da construção é a própria construção dos blocos, realizada por empreiteiros da Coréia e da China levou 161 dias. Os 425 blocos foram posicionados por guindastes e soldados entre si, formando 21 anéis de diferentes tamanhos e formas.

Ao longo de toda a produção, uma margem máxima de 5 milímetros de erro foi tolerada, garantindo a integridade estrutural do navio e que todos os tubos, fios, bombas, motores, portas e tudo mais se conectasse exatamente como deveria. A Maersk classe Triple E (18 270 contêineres) é o sucessor do E-classe Maersk (11 000 contêineres), que havia perdido o posto de maior do mundo para o CMA CGM Marco Pólo (16 020 contêineres).

A Maersk está construindo, atualmente 20 destes navios, sendo que o primeiro ficou pronto em julho de 2013. O nome “Triple E” é derivado de três princípios: “Economia de escala, eficiência energética e melhora ambiental”. Estes navios são esperados para ser não apenas os maiores do mundo em serviço, mas também os mais eficientes por unidade equivalente (TUE) de carga.

Uma das principais características do projeto é que o navio é composto por dois motores diesel, cada um dirigindo uma hélice separada, em uma velocidade de 19 nós (35 km/h).  Seu motor é o maior motor do mundo e sua hélice é o maior hélice de navio do mundo.

Capacidade: 18.270 TEUs (contêineres)- 
Comprimento: 399 metros
Projeto: 14,5 metros
Boca: 59 metros
Altura: 73 metros
Ótima velocidade: 19 nós (35 km/h)
Velocidade máxima: 25 nós (46 km/h)
Porte bruto: 165.000 toneladas
Motores: MAN motores 8S80ME-C9.2, 8 cilindros, 800 milímetros furo, 3.450 milímetros de curso, avaliado em 29,7 MW @ 73 rpm cada, com um consumo de combustível de 168 g / kWh (21,2 mil litros por dia)
Hélices: hélices gêmeas, com 4 lâminas, de 9,8 m de diâmetro.

Esse modelo foi projetado para consumir menos combustível, emitir menos poluentes no ambiente, carregar um número maior de containers e, consequentemente, bater diversos recordes mundiais. O novo cargueiro, que já entrou para o livro dos recordes, é um projeto da Maersk, um conglomerado dinamarquês de companhias que atua nos mais diversos ramos de negócio, mas com especial destaque nos segmentos de transporte e energia. O nome do navio, Triple-E, vem de uma menção a três conceitos: “energy, efficiency e environmental protection” (energia, eficiência e proteção ambiental, respectivamente, em português).

As dimensões da embarcação são realmente impressionantes. Ela possui 400 metros de comprimento, 59 metros de largura e 73 metros de altura. Todo esse tamanho permite que o Triple-E carregue até 165 mil toneladas. Assim, ele poderia transportar toda a produção de soja dos EUA que será exportada para a China entre este ano e o próximo de uma só vez, por exemplo.

Com seus 400 metros de comprimento, o Triple-E é 58 metros mais comprido do que o porta-aviões USS Enterprise — um dos mais famosos da Marinha dos EUA que possui 342 metros. Um Airbus A380 possui apenas 73 metros de comprimento e mais parece um brinquedo perto do cargueiro da Maersk.

Além disso, tanto o maior iate do mundo, o Eclipse, com seus 167 metros, quanto o submarino Typhoon, e seus 175 metros, passam bem longe da magnitude desse navio de carga. Mudando o parâmetro de comparações, se colocarmos o Triple-E “de pé”, ele seria maior que o Cristo Redentor (38 metros); Estátua da Liberdade (93 metros); Big Ben (96 metros); London Eye (135 metros); e Empire State Building (381 metros até o telhado, sem contar a antena).

Apesar de assumir o posto de maior cargueiro, ele não será o maior navio da história: título que ainda é do superpetroleiro Knock Nevis, que foi desmontado em 2010 e media 58 metros a mais que o Triple-E.

Curiosidades – Esse brutamonte como o Triple-E não é um exemplo de “magreza”. Para a fabricação dele foram usadas 60 mil toneladas de aço — material presente em 98% da sua estrutura. Na balança, o cargueiro pesa o dobro do Monumento a Washington, obelisco de quase 170 metros de altura. Esse montante de aço seria suficiente para construir 8,4 torres Eiffel e produzir 185.489 motocicletas Fat Boy da Harley Davidson.

Mais do que apenas grande, eficiente – O Triple-E não chama atenção apenas pelo seu tamanho, mas também pela sua eficiência e preocupação com o meio ambiente. O primeiro fato relevante é que todo o material usado em sua construção pode ser reutilizado — tanto o aço para a produção de outros navios como o cobre para a fabricação de cabos dos mais variados tipos.

A propulsão do navio é garantida por dois motores a diesel, com 42.913 cavalos de potência cada. Eles foram projetados para que o navio consuma menos combustível e não alcance altas velocidades (no máximo 42 km/h).

 

Fonte: SONAVE