Hoje é quarta-feira, 11 de dezembro de 2019, dia do Engenheiro # Termina o Brasileirão e a novidade é o Cruzeiro rebaixado e vai disputar pela primeira vez a Série B
osvaldo rocha jose oliveira propaganda1 internacional maritima
HOME
Entrevista
 Ogmo/itaqui
Syngamar
Telex/Aniversários
 Agencias Marítimas
Soamar MA
Fotos & Imagens
Dicas/Serviços
Capitania dos Portos do Maranhão
The best of web
Fale conosco


Vale
 Alumar
Itaqui
 Cargas
 Todos os portos
 Cartas Náuticas

Concursos
Prêmio Smart
Escoteiros em Foco
Cais do Jeep
Seminário Landlord

Osvaldo Rocha
José Oliveira
 Herbert Santos
Telex/Aniversários
 Humor
Ponto de Vista

José Clementino
Elson Burity
 Bento Moreira Lima

Aniversário Alumar
 Carta Pero Vaz
 Dia do Portuário
 Escoteiros em foco
 Nosso Papai Noel
 São Luis 406 anos
 Copa América 2019
 Cais do JEEP
 O Trem da Vale
Museu da Soamar

Pratimar
Petrobras
Portal Exportador
Banco Central
Receita Federal
Marinha do Brasil
Capitania Maranhão
Conapra
Policia Federal
Obra Prima CE














"A história de São Luís sempre esteve relacionada com a navegação e por consequência com a atividade portuária"

Atualmente, o Complexo Portuário da Baia de São Marcos é composto por três instalações portuárias modernas, são estas:

a) Porto Organizado do Itaqui, uma instalação pública, inaugurada em 1970 e atualmente administrada pela Empresa Maranhense de Administração Portuária – EMAP. A instalação também reúne diversos terminais que operam em contrato de arrendamento, além de operadores portuários privados;
b) Terminal Portuário Privado da ALUMAR, inaugurado em 1983, administrado pelo consórcio de mesmo nome;
c) Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, com operações iniciadas em 1986 e administrado pela empresa VALE S.A. Existem ainda outras instalações de pequeno porte dedicadas ao transporte de passageiros e de pequenas embarcações na baia.

A movimentação de carga do Complexo Portuário da Baia de São Marcos sempre foi de grande expressão no contexto nacional, se destacando seja pelo expressivo volume de sua movimentação de carga, seja pelas dimensões de seus imponentes navios.

Dentre os principais produtos movimentados neste complexo, se destacam os granéis sólidos, os granéis líquidos e as cargas gerais. Dentre os navios operados no complexo listamos os navios graneleiros, os navios tanques, os navios gaseiros e os navios de carga geral, todos estes podem ser observados à distância na praia de nossa litorânea.

Os números de 2017 demonstram uma movimentação impressionante de 204 milhões de toneladas no complexo, algo inédito na estatística nacional, representando 25% de toda a movimentação portuária do país naquele ano, tudo isso operado em 1.853 navios. Assim, tanto para a economia nacional, como regional, a importância do complexo portuário da baia de São Marcos vem se consolidando através de sua relevante e crescente movimentação e de sua contribuição para o comércio exterior brasileiro, bem como, através da geração de emprego e renda, atração de investimentos, pelo desenvolvimento tecnológico e pelos investimentos sociais e ambientais.

A partir dos dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, por meio dos relatórios das balanças comerciais dos estados do Maranhão e Pará (este último relacionado ao volume movimentado em Ponta da Madeira), o montante das riquezas que passam pelos portos da baia de São Marcos em 2017 foi de aproximadamente US$ 15 bilhões no ano. Destes, mais de US$ 12 bilhões destinados à exportação, ou o equivalente a 5,5% das exportações do país.

Dentre o aspecto da geração de emprego, considerando apenas aqueles empregos ligados à atividade portuária, as três instalações portuárias geram 13,5 mil empregos formais diretos, entre próprios e terceirizados, sem contar os empregos indiretos gerados pelo impacto positivo das atividades portuárias locais. O volume de compras e serviços demandados entre as instalações do complexo, e exclusivamente aplicados nas atividades portuárias, alcançou a marca de R$ 1,4 bilhão em 2017, sendo uma grande parte dessas aquisições adquiridas com fornecedores locais ou genuinamente locais.

Além de toda essa atual relevância, ainda se manifesta a perspectiva de um crescimento contínuo das atividades já existentes, a exemplo dos volumes de carga a serem alcançados com o projeto S11D da Vale (mina, ferrovia e porto) e com os planos de expansão do Itaqui. Mas se ainda não bastasse tudo isso, outros novos investimentos já se apresentam para compor este cenário de evolução portuária.

Para finalizar, importante destacar a realização da II Conferência de Desenvolvimento Portuário do Maranhão, que acontecerá nos dias 27 e 28 de novembro, no Parque Botânico da Vale. Empresas, instituições do setor marítimo, especialistas e fornecedores com atuação portuária estarão debatendo temas relevantes e trocando experiências na área de gestão, aplicação de tecnologias, segurança da navegação, pesquisa e visibilidade ao potencial de escoamento logístico da região.

O evento é uma oportunidade de reforçarmos os laços históricos da cidade de São Luis com a atividade portuária, a sua significativa importância socioeconômica atual e as perspectivas de um maior crescimento da atividade na Baia de São Marcos e no Maranhão. O desempenho do Porto do Itaqui e dos terminais da Alumar e de Ponta da Madeira são merecedores da atenção e do reconhecimento de nossa sociedade, a fim de que as atuais contribuições e o futuro que nos espera continuem a serem de sucesso e com a produção de ganhos para este estado e para esta região.



Porto Organizado do Itaqui, uma instalação pública, inaugurada em 1970 e atualmente administrada pela Empresa Maranhense de Administração Portuária – EMAP. A instalação também reúne diversos terminais que operam em contrato de arrendamento, além de operadores portuários privados.


Terminal Portuário Privado da ALUMAR, inaugurado em 1983, administrado pelo consórcio de mesmo nome.


Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, com operações iniciadas em 1986 e administrado pela empresa VALE S.A. Existem ainda outras instalações de pequeno porte dedicadas ao transporte de passageiros e de pequenas embarcações na baia.