Hoje é sábado, 16 de novembro de 2019, início em todo o país a Semana da Música # Logo mais, as três da tarde, tem o treino oficial para definir o grid do grande prêmio do Brasil de fórmula um, que acontece neste domingo, em Interlagos, às 14 horas.
propaganda2 orizon supplier cargas e cais internacional maritima
HOME
Entrevista
 Ogmo/itaqui
Syngamar
Telex/Aniversários
 Agencias Marítimas
Soamar MA
Fotos & Imagens
Dicas/Serviços
Capitania dos Portos do Maranhão
The best of web
Fale conosco


Vale
 Alumar
Itaqui
 Cargas
 Todos os portos
 Cartas Náuticas

Concursos
Prêmio Smart
Escoteiros em Foco
Cais do Jeep
Seminário Landlord

Osvaldo Rocha
José Oliveira
 Herbert Santos
Telex/Aniversários
 Humor
Ponto de Vista

José Clementino
Elson Burity
 Bento Moreira Lima

Aniversário Alumar
 Carta Pero Vaz
 Dia do Portuário
 Escoteiros em foco
 Nosso Papai Noel
 São Luis 406 anos
 Copa América 2019
 Cais do JEEP
 O Trem da Vale
Museu da Soamar

Pratimar
Petrobras
Portal Exportador
Banco Central
Receita Federal
Marinha do Brasil
Capitania Maranhão
Conapra
Policia Federal
Obra Prima CE











Fertilizantes se transformam num carrossel de grandes investimentos no Porto do Itaqui
Empresas se preparam para aproveitar o bom momento que o setor agrícola projeta para o Maranhão


Navio da Copi em operação no porto do Itaqui
De janeiro a julho deste ano o Porto do Itaqui movimentou mais de 1 milhão de toneladas de fertilizantes, volume 5% acima do que foi registrado no mesmo período de 2018. No total, em 2018 foram descarregadas no porto público do Maranhão quase 2 milhões de toneladas de fertilizante e a tendência é fechar 2019 bem acima dessa marca. A consolidação do Porto do Itaqui como principal porta de saída da produção de grãos (soja e milho) da região Centro-Norte do Brasil vem impulsionando cada vez mais a importação de fertilizantes como carga de retorno. O Itaqui ocupa o top três no escoamento de soja entre os portos públicos brasileiros e é o quinto em importação de aditivos para produção agrícola.

Por trás desses resultados está uma rede de negócios que direta e indiretamente impactam a economia do Maranhão e do Brasil. Importadores, autoridade portuária, armadores, operadoras portuárias, agências marítimas, praticagem e arrendatários – diretamente relacionados ao porto – demandam prestadores de serviços, fornecedores de produtos, transportadores e mão de obra diversificada. Todos movimentando a roda da economia com geração de emprego e renda ao longo de uma diversificada cadeia produtiva.
A soma de empregos diretos e indiretos gerados a partir da atividade portuária chega a cerca de 14 mil postos de trabalho. Isso inclui colaboradores da EMAP, das operadoras e arrendatárias, funcionários de órgãos públicos como a Receita e a Polícia Federal, Antaq, ANVISA, Vigiagro e bombeiros; e também os trabalhadores portuários avulsos (TPAs), que segundo a lei dos portos (12.815/2013) devem, necessariamente, ser demandados pelas operadoras portuárias para trabalhos no Itaqui. Essa mão de obra é gerida pelo OGMO – órgão gestor de mão de obra.

Há ainda funcionários de empresas terceirizadas, de restaurantes, agências bancárias e demais empreendimentos estabelecidos no porto e associados às cadeias movimentadas através dele ao longo de toda a área de influência.

Com a responsabilidade de garantir a infraestrutura necessária ao funcionamento de todos esses negócios, administrando e fiscalizando as operações, a Empresa Maranhense de Administração Portuária – EMAP exerce a autoridade portuária e gerencia toda a movimentação, atuando desde a atracação e desatracação e tráfego de embarcações no porto, zelando pelo cumprimento da legislação vigente, segurança e respeito ao meio ambiente.

Da Rússia ao Sul do Maranhão - A maior parte dos fertilizantes movimentado pelo Porto do Itaqui vem da Rússia, Egito e Israel, que juntos respondem por 51% do total. Segundo dados da Associação Nacional para Difusão de Adubos, o mercado brasileiro consumiu 35,5 milhões de toneladas de fertilizantes em 2018. Desse total, apenas 8,1% é produzido no país, que importou 77% do que foi entregue ao mercado, o que equivale a 27,7 milhões de toneladas. Até chegar às fazendas dos produtores de grãos do Maranhão e demais estados do MATOPIBA (Tocantins, Piauí, Bahia, além do nordeste do Mato Grosso), muitas distâncias são vencidas e vários negócios realizados.

Um dos elos importantes dessa cadeia é o operador portuário, responsável pelo desembarque da carga que chega desses países. Fábio Alvarenga, da Brazil Marítima, responsável pela operação de 336 mil toneladas de fertilizante em 2018, vem trabalhando na perspectiva de aumento de volume e de produtividade. “A expansão do MATOPIBA e o aumento da demanda da Ásia associados à administração profissional do Porto do Itaqui dão condições de competitividade para todos os players”, afirma.
Investimento de R$ 140 milhões.

Um exemplo do fortalecimento dessa cadeia produtiva e da confiança do setor privado no porto público do Maranhão é o investimento de R$ 140 milhões da COPI – Companhia Operadora Portuária do Itaqui em um novo terminal de fertilizantes, com obras já iniciadas. O projeto prevê a construção de um armazém com capacidade para 80 mil toneladas e possibilitará movimentação de até 3,5 milhões de toneladas de fertilizantes por ano.

A nova estrutura será a mais moderna do país para esse tipo de operação, com interligação do armazém ao berço 101 do Itaqui. O contrato de arrendamento da COPI cobre uma área de 16 mil metros quadrados, destinada à movimentação de granéis sólidos e carga geral.

Para o presidente da COPI, Carlos Roberto Frisoli, “o empreendimento – que deve estar concluído em dois anos – vai consolidar o Itaqui como o porto de entrada de fertilizante de todo o Arco Norte, incluindo Goiás”. Ele avalia que o porto público maranhense é logisticamente mais ágil e mais competitivo pela localização geográfica (mais próximo do mercado externo) e por sua conexão ferroviária. “Vamos concorrer diretamente com os portos de Paranaguá e Santos”, afirma.

“Nós apostamos no Porto do Itaqui e no Maranhão porque é um porto viável e tem uma gestão profissional”, destaca. O novo terminal deve iniciar as operações até o final de 2020 e a expectativa é movimentar 2,2 milhões de toneladas de fertilizante/ano.

Lugar: PORTOSMA
Fonte: Fonte: O Imparcial
Data da Notí£©a: 04/09/2019

Untitled