Hoje é 25 de maio, sábado, dia da Indústria, do Massagista e do Trabalhador Rural # O MAC está fora da Série D do Brasileirão. Foi eliminado pelo Atlético do Ceará em pleno Castelão pelo placar de 2x1. Foram quatro partidas e quatro derrotas do time maqueano # Amanhã casa cheia no Castelão para Sampaio e Ferroviário-CE valando a liderança do Grupo A da Série C.
jose oliveira propaganda1 propaganda2 granel quimica
HOME
Entrevista
 Ogmo/itaqui
Syngamar
Telex/Aniversários
 Agencias Marítimas
Soamar MA
Fotos & Imagens
Empresas
Dicas/Serviços
Capitania dos Portos do Maranhão
The best of web
Fale conosco


Vale
 Alumar
Itaqui
 Cargas
 Todos os portos
 Cartas Náuticas

Osvaldo Rocha
José Oliveira
 Herbert Santos
Telex/Aniversários
 Humor
Ponto de Vista

José Clementino
Elson Burity
 Bento Moreira Lima

Noticias
 Legislação

Aniversário Alumar
 Carta Pero Vaz
 Dia do Portuário
 Escoteiros em foco
 Nosso Papai Noel
 São Luis 406 anos
 Copa 2014
 Cais do JEEP
 O Trem da Vale
Museu da Soamar

Pratimar
Petrobras
Portal Exportador
Banco Central
Receita Federal
Marinha do Brasil
Capitania Maranhão
Conapra
Policia Federal
Obra Prima CE











Exportações da China têm maior contração em 2 anos e aumentam riscos para economia global
País ampliou superávit sobre os Estados Unidos, o que pode levar o acirramento da guerra comercial entre os países


Na briga China/EUA sobrou até para o minério brasileiro
As exportações da China caíram inesperadamente pelo ritmo mais forte em dois anos em dezembro, enquanto as importações também contraíram, indicando mais fraqueza na segunda maior economia em 2019 e deterioração da demanda global. Dados divulgados nesta segunda-feira também mostraram que a China teve em 2018 o maior superávit comercial com os Estados Unidos já registrado, o que pode levar o presidente norte-americano, Donald Trump, a ampliar as ameaças sobre Pequim em sua disputa comercial.

Alguns analistas já especulam que Pequim pode ter que acelerar e intensificar suas políticas de afrouxamento e medidas de estímulo este ano, após a atividade industrial ter encolhido em dezembro. As exportações da China em dezembro encolheram inesperadamente 4% na comparação com o ano anterior, com a demanda na maioria de seus principais mercados enfraquecendo. As importações também surpreenderam, encolhendo 7,6%, em seu maior declínio desde julho de 2016. Analistas esperavam que o crescimento das exportações desacelerasse a 3% , com as importações avançando 5%.{

Entenda a guerra comercial - Em janeiro de 2018, o governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou a imposição de tarifas comerciais contra painéis solares e máquinas de lavar, importados especialmente da China, num movimento que marca o endurecimento das relações comerciais dos Estados Unidos com o país asiático.

Em março, o presidente Trump afirmou que seu governo iria impor tarifas de importação para aço e alumínio de 25% e 10%, respectivamente. A ação afetou não apenas a China, como a União Europeia e até mesmo o Brasil, o que causou um alerta vermelho no comando da Mineradora Vele.

"Os dados de hoje refletem um fim ao adiamento dos carregamentos e o início dos efeitos de rebote, enquanto a desaceleração global pode também pesar sobre as exportações da China", escreveram economistas do Nomura em nota, referindo-se ao aumento dos embarques para os EUA durante a maior parte do ano passado, conforme as empresas correram para se antecipar às tarifas.

O superávit da China com os EUA aumentou no ano passado em 17,2%, para 323,32 bilhões de dólares, o mais elevado já registrado desde 2006, de acordo com cálculos da Reuters baseados em dados da alfândega.

O grande superávit comercial da China com os EUA é há tempos um ponto sensível com Washington, que tem exigido que Pequim adote medidas para reduzí-lo com força.

Lugar: PORTOSMA
Fonte: Folha de São Paulo
Data da Notí£©a: 14/01/2019

Untitled