Hoje é quarta-feira, 25 de abril de 2018, dia da Contabilidade e do Contador # Hoje o Sampaio enfrenta o River no Castelão precisando vencer para garantir vaga na Copa do Nordeste do ano que vem # Pela Champions League, às 15h45, jogam Bayern de Munique x Real Madrid.
jose oliveira granel quimica propaganda1 internacional maritima
HOME
Entrevista
 Ogmo/itaqui
Syngamar
Telex/Aniversários
 Agencias Marítimas
Soamar MA
Fotos & Imagens
Empresas
Dicas/Serviços
Capitania dos Portos do Maranhão
The best of web
Fale conosco


Vale
 Alumar
Itaqui
 Cargas
 Todos os portos
 Cartas Náuticas

Osvaldo Rocha
José Oliveira
 Herbert Santos
Telex/Aniversários
 Humor
Ponto de Vista

Noticias
 Legislação

Aniversário Alumar
 Carta Pero Vaz
 Dia do Portuário
 BP Changri-lá
 Nosso Papai Noel
 São Luis 405 anos
 Copa 2014
 C. Confederações
 O Trem da Vale
Museu da Soamar

Pratimar
Petrobras
Portal Exportador
Banco Central
Receita Federal
Marinha do Brasil
Capitania Maranhão
Conapra
Policia Federal
Obra Prima CE











4,8 milhões/t de grãos deverão ser colhidas no estado do Maranhão em 2018
A abertura oficial da colheita foi marcada por otimismo e lucros para o setor agrícola


Os produtores maranhenses de grãos estão comemorando o crescimento da safra de uma forma muito otimista. A abertura oficial da colheita foi realizada na última quarta-feira, 14, e as expectativas são animadoras. O presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Maranhão, Carlos Piraíba, durante o evento, declarou que os incentivos do Governo do Maranhão são fundamentais para os produtores. “Passamos mais de 40 anos trabalhando absolutamente sozinhos para melhorar as condições da nossa produção, principalmente em relação à trafegabilidade. Agora o Governo do Estado tem garantido a infraestrutura, além de criar incentivos tributários que ajudam o mercado interno a gerar mais renda e empregos dentro do estado, esperamos que esse apoio e incentivo do governo continue”, diz Carlos Piraíba.

Segundo o IBGE, a safra de grãos em 2018 deverá colher 4,8 milhões de toneladas, fruto do aumento de área plantada nas culturas da soja e algodão, que foram de 1,8% e 7%, respectivamente. Além do cenário climático mais favorável, o apoio do Governo do Estado garantiu incentivos tributários que geraram efeito sobre toda a cadeia produtiva da agricultura. Durante o ano passado, o governador Flávio Dino assinou decreto reduzindo o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para a produção de grãos no Maranhão. As alíquotas caíram de 12% para 2%, beneficiando produtores de soja, milho, milheto e sorgo. O ganho de dez pontos porcentuais possibilitou mais competitividade aos agricultores.

“Esse incentivo tributário gerou um efeito positivo em toda a cadeia produtiva, além do aumento da produção. O agricultor investe em mais insumos, compra mais equipamentos, consome mais energia e gera empregos, tudo isso colabora para a geração do desenvolvimento e mais arrecadação fiscal, que é usada pelo governo e prefeituras para investir em obras públicas”, analisa Carlos Piraíba. O secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Pesca, Márcio Honaiser, destaca a força da agricultura para o crescimento da economia maranhense. “O Maranhão foi o Estado que mais cresceu, quase 10%, muito acima da taxa de crescimento brasileira, tem perspectivas de crescimento ainda maior em função do crescimento da produção, além de preços mais competitivos”, esclarece o secretário.

Mais logística e tecnologia - Com início da colheita prevista para maio deste ano, os produtores de grãos de Chapadinha e demais municípios da região, também comemoram os bons resultados do setor. A região possui aproximadamente 100 mil hectares de plantação de grãos, cerca de 10% do total do território dedicado a grãos no Maranhão. “A ampliação da logística portuária no Itaqui, com a criação do Tegram, garante muita facilidade para o nosso produtor que praticamente não arca mais com os custos de armazenamento, que são muito altos”, explica o secretário de Desenvolvimento Econômico do município de Anapurus e dirigente de entidade ligada aos produtores, Sérgio Delmiro.

Logística e infraestrutura - O governo do estado investe na manutenção de estradas que facilitam o escoamento da produção e vão garantir mais rapidez e desperdício no deslocamento dos grãos. Além de fornecer máquinas para manter a infraestrutura de estradas vicinais por onde as cargas de grãos trafegam, o Governo do Estado está em tratativas para a alocação de R$ 400 milhões a serem investidos na recuperação da MA-006, importante corredor por onde trafega boa parte da produção maranhense. “Conseguimos resolver os pontos críticos nos principais trechos da rodovia com operação de patrulhas, o que ajudou muito na trafegabilidade. Mesmo com as muitas chuvas, tivemos um apoio importante do governo para ajudar na trafegabilidade. A gestão estadual tem garantido a permanência do maquinário para apoiar a abertura das estradas com a intensa chuva e que essas patrulhas permaneçam”, comenta o presidente da Aprosoja-MA, Carlos Piraíba. Ele acredita que o incentivo dado pelo governo vai garantir a industrialização da produção graneleira. “Nós estamos fortalecendo o diálogo com o governo no sentido de caminhar para a industrialização, o que vai gerar ainda mais renda e empregos para toda a região, e claro, garantindo o aumento do recolhimento de ICMS para que governo e prefeituras possam investir”, observa.

Sobre o Tegram - O Terminal de Grãos do Porto do Itaqui (Tegram) foi inaugurado em 2015 pelo governador Flávio Dino e tem capacidade de armazenagem para milhões de toneladas ao ano. Para Sérgio Delmiro, o apoio do governo também garantiu o incremento na tecnológica para produção. “Essa mudança no olhar do governo, que tem dado muito mais apoio em relação a anteriores, tem ajudado a investirmos mais, inclusive em tecnologia. É uma mudança que se reflete nas colheitas do Estado e por consequência gera esses bons resultados do PIB do Maranhão, como verificamos nos indicadores recém divulgados”, avalia.

Lugar: PORTOSMA
Fonte: Secom/MA
Data da Notí£©a: 19/03/2018

Untitled