Hoje é quarta-feira, 25 de abril de 2018, dia da Contabilidade e do Contador # Hoje o Sampaio enfrenta o River no Castelão precisando vencer para garantir vaga na Copa do Nordeste do ano que vem # Pela Champions League, às 15h45, jogam Bayern de Munique x Real Madrid.
jose oliveira orizon supplier cargas e cais propaganda2
HOME
Entrevista
 Ogmo/itaqui
Syngamar
Telex/Aniversários
 Agencias Marítimas
Soamar MA
Fotos & Imagens
Empresas
Dicas/Serviços
Capitania dos Portos do Maranhão
The best of web
Fale conosco


Vale
 Alumar
Itaqui
 Cargas
 Todos os portos
 Cartas Náuticas

Osvaldo Rocha
José Oliveira
 Herbert Santos
Telex/Aniversários
 Humor
Ponto de Vista

Noticias
 Legislação

Aniversário Alumar
 Carta Pero Vaz
 Dia do Portuário
 BP Changri-lá
 Nosso Papai Noel
 São Luis 405 anos
 Copa 2014
 C. Confederações
 O Trem da Vale
Museu da Soamar

Pratimar
Petrobras
Portal Exportador
Banco Central
Receita Federal
Marinha do Brasil
Capitania Maranhão
Conapra
Policia Federal
Obra Prima CE











Chineses lançam pedra fundamental do novo porto privado da capital maranhense
Orçada em quase dois R$ bilhões, primeira fase da obra deve gerar quatro mil empregos


Governador Flávio durante a cerimônia
Por Carlos Andrade, da Redação

Para entender o cenário dos acontecimentos que aconteceram na manhã desta sexta-feira, dia 16 de março, no auditório principal do Hotel Pestana, no bairro do Calhau, em São Luís do Maranhão, é preciso voltar no tempo alguns meses. Mais precisamente a setembro de 2017 quando em sua última visita a China, o presidente Michel Temer foi recebido pelo presidente Xi Jinping e os dois protagonizaram uma série de acordos bilaterais nas mais diversas áreas da economia, da cultura e da diplomacia. No total, os dois países assinaram 14 acordos bilaterais, dentre os quais se destacam a aprovação de uma nova linha de crédito de 300 milhões de dólares (942 milhões de reais) ao Banco do Brasil e outro preparatório para que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) recebesse uma linha de três bilhões de dólares (10 bilhões de reais), o que fez da China o grande banqueiro do Brasil.

Na área da infraestrutura, a empresa chinesa State Grid assinou a licença para as obras da linha de alta tensão entre o Xingu e o Rio de Janeiro, enquanto a CCCC - China Communication and Construction Company - investiria 700 milhões de dólares (2,2 bilhões de reais) na construção de um terminal de uso privado no porto de São Luís. Pronto, agora sim dá para entender a notícia do lançamento da pedra fundamental do início das obras do porto de São Luís e toda euforia que tomou conta das centenas de pessoas que ali foram reunidas para viver o nascimento de um projeto que chega para fazer história na história do complexo portuário do Estado do Maranhão.

Localizado na Comunidade Cajueiro – entre o porto do Itaqui e o terminal da Alumar – o novo terminal de uso privado de São Luís que vem sendo desenvolvido ao longo dos últimos cinco anos, finalmente deixa de ser um projeto para se tornar realidade. A primeira fase das obras, que deve ser concluída em três anos, tem uma estimativa de investimentos de 800 milhões de reais. As fases seguintes ao porto, como malhas viárias de rodovias e ferrovias e pátios de estocagem devem consumir mais 1 bilhão e 200 milhões, perfazendo um aporte de recursos no Estado da ordem de 2 bilhões de reais.  

Próximo a Vila Maranhão, a comunidade Cajueiro foi o local escolhido para a implantação deste mega-projeto pelas suas condições naturais de maré, que, com drenagem especial poderá oferecer até 18 metros de calados para as operações de embarques de navios de pequeno, médio e grande porte. O Terminal São Luís, que deverá gerar na sua primeira fase cerca de cinco mil empregos, tem uma área de 200 hectares, sendo 550 mil de área de proteção ambiental. Nessa sexta-feira (16), quando aconteceu o lançamento da pedra fundamental do porto, além do Governador do Maranhão, Flávio Dino e uma dezenas de autoridades portuárias maranhenses, uma comitiva com 65 empresários e altos executivos chineses se fez presente ao evento que de uma hora para outra criou uma comunidade bilíngüe entre todos os participantes e convidados que lotaram as dependências do Hotel Pestana.

O novo terminal deverá atender às regiões Central, Norte e Nordeste do Brasil, interligado pelas ferrovias Norte-Sul e Carajás. A capacidade de movimentação prevista e anunciada é de cerca de 10 milhões de toneladas por ano, sendo sete milhões de soja e milho; 1,5 milhão de fertilizantes, 1,5 milhão de carga geral, e 1,8 mil metros cúbicos de derivados de petróleo. No local, serão construídos seis berços, sendo quatro na primeira fase, e os outros dois na segunda. Também serão construídas uma ponte de acesso e uma pêra ferroviárias para interligação das diversas modalidades de transportes necessárias para a viabilidade de todas as demandas de cargas e negócios que serão gerados a partir do início das operações.

A construção do terminal conta com o consórcio da China Communications Construction Company (CCCC), que é a maior empresa de infraestrutura da China e a quinta maior do mundo, tendo em setembro de 2017 comprado 51% de participação no Porto São Luís. Entre as obras com a assinatura da empresa está a maior ponte do mundo, que liga Macau e Zhuai, com 55 quilômetros de extensão. Durante a solenidade de lançamento da pedra fundamental, em São Luís, o presidente internacional da CCCC - China Communications Construction Company -, Chen Zhong, tratou sobre os pontos do empreendimento, das condições naturais favoráveis do local onde o porto será construído, e de toda a cadeia produtiva de investimentos com os quais a sua empresa se compromete a bancar.

Por sua vez, o governador Flávio Dino fez uma analogia entre as estrelas da bandeira da China e a estrela da bandeira do Maranhão, lembrando que são símbolos de regiões opostas ligadas pela determinação de trabalho e crescimento. “O mundo macro da economia mundial prega que para um país ser grande precisa crescer a taxas chinesas. O Maranhão está conseguindo atingir tais objetivos. O Maranhão está crescendo”. E concluiu o governador maranhense: “Daqui a três anos espero me reencontrar com esta comitiva de chineses para a inauguração do Porto São Luís. Considero muito importante as empresas maranhenses terem essa abertura de oportunidades e negócios. Em 2017, o Maranhão foi o estado que mais cresceu no país, e com taxas chinesas. Tenho certeza que neste ano e nos próximos crescerá mais ainda com esse porto, que hoje implantamos de forma simbólica sua pedra fundamental, na certeza que será um grande sucesso”.

Falando em nome dos chineses, Chang Yunbo, chairman e presidente da CCCC na América, se disse satisfeito com apoio do Governo do Estado para o investimento da sua empresa no Maranhão. “Estamos muito satisfeitos com apoio do governador Flávio Dino. Ele abriu as portas do estado do Maranhão para nossa empresa, não por sermos chineses, mas por ter acreditado nesse projeto. A geração de empregos será progressiva, começando com os quatro mil postos diretos referentes à primeira fase do projeto, e garantindo outros milhares de empregos permanentes, que serão gerados a partir das infinidades de novas oportunidades que surgirão para este Estado”, destacou Chang Yunbo.

Para o Presidente do Sindicato das Agências de Navegação do Estado do Maranhão, Jorge Afonso Guagliani Pereira, o anúncio de um projeto desse porte para o Maranhão, é uma notícia que enche de expectativas otimistas toda a classe portuária, pois significa mais emprego, mais investimentos, mais empregos e, sobretudo, mais oportunidades de negócios para toda cadeira produtiva do Estado. “Nós temos muita confiança de que a soma de investimentos públicos com investimentos privados vá garantir que o ano de 2018 tenha um crescimento ainda mais acentuado da economia do Maranhão. No ano passado já experimentamos  uma tendência de crescimento e acredito que essa postura positiva deva se manter e até mesmo ampliar, graças a esse esforço conjunto do poder público com a iniciativa privada, muito bem representada nesta solenidade de lançamento do Porto de São Luís”, afirmou o presidente do Syngamar.

Além da China Communications Construction Company (CCCC), o Porto São Luís possui mais dois investidores. A WPR, empresa de infraestrutura do empresário Walter Torre Júnior; e a Lyon Capital, empresa de private equity independente que prospecta oportunidades de negócios, especialmente na área de infraestrutura em toda a América Latina, tendo Paulo Remy Gillet Neto, Nilton Bertuchi e Roberto Ferrari, como principais acionistas.

CONFIRA A SEGUIR FOTOS DO EVENTO

  
Tudo começou aqui: O presidente Michel Temer, em Pequim, com o presidente chinês, Xi Jinping, set/2017.







  

  

  

  

  

  

  

  



Lugar: PORTOSMA
Fonte: AdPress/Redação/SecomMA
Data da Notí£©a: 17/03/2018

Untitled