Setembro Amarelo: Campanha contra o Suicído # Hoje é domingo, 22 de setembro, dia do mototaxista # Flamengo 1x1 Avaí Futebol Clube; Santos 1x0 Atlético Paranaense; CRB 1x2 Criciuma; Figueirense 2x0 ABC; Goiás 2x1 Paysandu; Náutico 0x1 Internacional; Ceará 2x1 Brasil de Pelotas.
propaganda2 cargas e cais propaganda1 jose oliveira
HOME
Entrevista
 Ogmo/itaqui
Syngamar
 Agencias Marítimas
Soamar MA
Fotos & Imagens
Empresas
Dicas/Serviços
Capitania dos Portos do Maranhão
The best of web
Fale conosco


Vale
 Alumar
Itaqui
 Cargas
 Todos os portos
 Cartas Náuticas

Osvaldo Rocha
José Oliveira
 Convés
Telex/Aniversários
 Humor
Ponto de Vista

Noticias
 Legislação

Aniversário Alumar
 Carta Pero Vaz
 São Luis 405 anos
 Copa 2014
 Copa Confederações
 O Trem da Vale
Museu da Soamar

Pratimar
Petrobras
Portal Exportador
Banco Central
Receita Federal
Marinha do Brasil
Capitania Maranhão
Conapra
Policia Federal
Obra Prima CE











Barco de orígem japonesa, sem nenhum tripulante dentro, atraca no município de Cedral
O pesqueiro Baraka amanheceu do nada na praia de Sassoitá e deu orígem a várias especulações e mistérios


Barco atracado em Cedral sem dono e sem documentos
Um mistério do mar, o último de tantos, aconteceu na segunda-feira (27) na cidade de Cedral, mais precisamente na praia do Sassoitá, região litoral do Maranhão, a 480 km da capital São Luís. O detalhe: o barco, logo dito fantasma, surgiu do nada e em seu interior os moradores não encontraram nenhum tripulante, assim como qualquer tipo de documentação que ajudasse a explicar sua origem. A situação tem levantado especulações e diversas teorias da conspiração, sobretudo, entre os pescadores locais. Na embarcação, de nome “Baraca”, tudo que se achou foi bolsas sujas e com forte odor, além de sacos de arroz.  Agora os órgãos competentes buscam saber a origem do barco, bem como seus registros de documentos.

O barco, cujo nome estampado na carcaça é Baraka, não pertence a nenhum pescador da região. Segundo a Marinha do Brasil, ele foi identificado como uma embarcação japonesa, mas sem nenhuma autorização para pesca em águas brasileiras. Hipóteses mais prováveis é que tenham sido alvo de algum tipo de pirataria e abandonado por seus saqueadores. O que não se explica, é como uma embarcação de pequeno/médio porte, como essa, foi trazida pelas ondas até a praia, sem que sofresse qualquer tombamento apesar da força das ondas na região.

PROVIDÊNCIAS - O barco Baraka, que apareceu misteriosamente no início da semana em uma praia do município de Cedral, no litoral ocidental maranhense, já foi identificada como uma embarcação japonesa, segundo informações da Capitania dos Portos. O Capitão dos Portos, CMG André Trindade, explicou que pelos registros até agora levantados, trata-se de um barco pesqueiro de origem japonesa. “Estamos enviando uma equipe para a cidade de Cedral, onde serão feitas as primeiras avaliações técnicas que vão definir quais os procedimentos devam ser tomados pela Capitania”, afirmou. Ainda segundo as autoridades marinheiras, trazer o barco até São Luís é uma hipótese, não uma decisão tomada.
MISTÉRIO - Como acontece em todas as coisas e “cousas” do mar, o acontecimento tem produzido centenas de versões por parte dos moradores locais. Não tem sido as explicações sobrenaturais que tentam explicar como uma embarcação, sem ninguém dentro a manobra-la, foi capaz de viajar por dezenas ou centenas de milhas marinhas sem sofrer nenhum dano de grande proporção e sem afundar em consequências das ondas e das avarias em seu casco visivelmente degenerado pela ação da ferrugem.  “É coisa do outro mundo e a tripulação existe. É fantasma e atracou em nossa praia por uma razão que não sabemos”, afirma um pescador morador da praia e Sassoitá, local escolhido pelo Baraka para “atracar ferro”.

Lugar: PORTOSMA
Fonte: Capitania dos Portos
Data da Notí£©a: 29/03/2017

Untitled