Hoje é 21 de abril, domingo de páscoa, doa de Tiradentes, da Latinidade, do Metalúrgico, da Polícia Civil e do Policial Militar # Hoje é dia de decisão nos campeonatos carioca e paulista # Em MInas deu Cruzeiro que empatou com o Atletico e conquistou o bicampeonato.
cargas e cais humberto gomes jose oliveira granel quimica
HOME
Entrevista
 Ogmo/itaqui
Syngamar
Telex/Aniversários
 Agencias Marítimas
Soamar MA
Fotos & Imagens
Empresas
Dicas/Serviços
Capitania dos Portos do Maranhão
The best of web
Fale conosco


Vale
 Alumar
Itaqui
 Cargas
 Todos os portos
 Cartas Náuticas

Osvaldo Rocha
José Oliveira
 Herbert Santos
Telex/Aniversários
 Humor
Ponto de Vista

José Clementino
Elson Burity
 Bento Moreira Lima

Noticias
 Legislação

Aniversário Alumar
 Carta Pero Vaz
 Dia do Portuário
 Escoteiros em foco
 Nosso Papai Noel
 São Luis 406 anos
 Copa 2014
 Cais do JEEP
 O Trem da Vale
Museu da Soamar

Pratimar
Petrobras
Portal Exportador
Banco Central
Receita Federal
Marinha do Brasil
Capitania Maranhão
Conapra
Policia Federal
Obra Prima CE











Jackson Lago toma posse como governador
Duas solenidades. Uma na Assembléia e outra na praça Maria Aragão garantiram a transição


Jackson recebe a faixa do ex-governador José Reinaldo
Eleito dia 29 de outubro do ano passado, o governador Jackson Kepller Lago e o vice, Luiz Carlos Porto, tomaram posse na tarde desta segunda-feira, 1º, em solenidade realizada na Assembléia Legislativa. A cerimônia, que teve início por volta das 16h10, no Plenário Gervásio Santos, foi coordenada pelo atual Presidente da Casa, o deputado João Evangelista (PSDB). Políticos, prefeitos, representantes do Tribunal de Justiça, Procuradoria Geral de Justiça, Tribunal de Contas do Estado e Secretários estiveram presentes na solenidade. Foram executados os hinos Nacional e do Maranhão, interpretado pelo Coral de São João.

O governador eleito tomou posse perante os deputados e convidados e fez o juramento de cumprir as constituições Federal e do Estado. Jackson Lago usou a tribuna da Assembléia para um breve pronunciamento, em que falou da importância de estar tomando posse na casa que reverencia Manoel Beckman. Ele falou também dos seus projetos para governar o Maranhão nos próximos quatro anos. Voltou a afimar que governará dentro de uma visão municipalista e voltado para as parcerias.

Lago disse que foi eleito com o apoio de diversas correntes políticas, mas prometeu um Governo de unidade dentro da pluralidade. "Assumi uma grande responsabilidade sobre os seus ombros. Quero ser o governador de todos os maranhenses", e é nessa perspectiva que agirei com a contribuição de todos", declarou.  Lago disse que a eleição acabou. "Viveremos a partir de agora um novo momento político. Para que possamos fortalecer as práticas democráticas serão necessárias as parcerias com o Judiciário, Ministério Público, Tribunal de Contas do Estado, entidades civis e de toda a natureza", defendeu.

Em seu discurso de posse, Jackson Lago deixou bem claro que "o povo maranhense é o principal dono do destino do Estado".  Depois da posse Assembléia, o governador Jackson Lago recebeu a faixa das mãos de José Reinaldo, na Praça Maria Aragão, onde em seguida aconteceu um recital com Artur Moreira Lima e em seguida um show popular com a Banda Carcará.

Reforma Administrativa - Uma das primeiras medidas, adotada antes mesmo da posse do novo governo, foi a aprovação do projeto que reestrutura a máquina administrativa, reduzindo o tamanho do Estado. Foram extintos 20 órgãos, incluindo todas as gerências regionais e algumas secretarias. Pelo novo desenho da máquina pública, a administração direta passa a ter 25 secretarias de Estado. Dentro dessa estrutura, quatro novas pastas foram criadas e duas extintas. As novidades são as secretarias da Administração e Previdência Social (Seaps), do Turismo (Setur), do Trabalho e da Economia Solidária (Setres) e da Mulher (Semu).

Desapareceram as secretarias de Justiça e Cidadania e de Assuntos Estratégicos. Na administração indireta foram extintas a Gerência de Articulação e Desenvolvimento da Região Pré-Amazônia Maranhense, a Agência Reguladora de Serviços Públicos e as 17 gerências regionais. Quatro secretarias extraordinárias também integram a nova estrutura: dos Direitos Humanos, da Juventude, da Igualdade Racial e do Desenvolvimento do Sul do Maranhão. Soma-se a este organograma o Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômico e Cartográfico (Imesc), o Departamento Estadual de Infra-Estrutura e Transporte (Deint) e a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp).

Toda essa estrutura será movimentada por um orçamento que prevê receitas da ordem de R$ 5,4 bilhões em 2007. De acordo com o projeto de lei, aprovado pela Assembléia, o novo governador do Maranhão terá liberdade para movimentar, dentro da peça orçamentária, até 50% do total de recursos previstos.

GOVERNADOR JACKSON LAGO

Nascido em Pedreiras em 1º de novembro de 1934, Jackson Kepler Lago, casado com Clay Lago, tem três filhos e vários netos. É médico com extenso currículo na área de saúde pública, sendo pioneiro na realização de cirurgia torácica no estado. Lecionou na Faculdade de Medicina do Maranhão e chegou ao posto de Secretário de Estado da Saúde. Sua carreira política teve início na década de 60. Em 1979, junto de Leonel Brizola, fundou o PDT maranhense, pelo qual também foi eleito deputado estadual. Foi prefeito de São Luís em três períodos (1989/1992; 1997/2000; 2001/2002). Na última vez em que foi prefeito, renunciou ao mandato para concorrer ao governo do Estado e foi derrotado. Em 29 de outubro de 2006, conseguiu se eleger governador do Maranhão.

VICE-GOVERNADOR LUIZ PORTO

Luiz Carlos Porto nasceu em Imperatriz dia 28 de novembro de 1957. É casado com a sexóloga Ana Cristina Costa Porto, com quem tem três filhos. Formado em administração pública pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Recife (PE), com mestrado em Teologia pela Faculdade Sul-Americana de Londrina (PR). É presidente da Academia Imperatrizense de Letras e pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Foi subsecretário de Administração e secretário de Fazenda da Prefeitura de Imperatriz, na gestão Jomar Fernandes, e secretário do Fome Zero. Foi candidato a vice-prefeito na chapa Jomar Fernandes (2004). Foi eleito vice-governador do Maranhão em 29 de outubro de 2006.

Conheça a lista dos secretários de Jackson Lago

Chefe da Casa Civil: Aderson Lago
Chefe da Casa Militar: Coronel Francisco Melo
Secretário-chefe de Gabinete: Luiz Pedro de Oliveira
Secretário de Articulação Política: Wilson Carvalho
Secretário de Segurança Cidadã: Eurídice Vidigal
Secretário de Planejamento: Abdelazize Santos
Secretário de Infra-Estrutura: Ney Belo
Secretário de Saúde: Edmundo Gomes
Secretário de Educação: Lourenço Vieira da Silva
Secretário da Fazenda: José Azolini
Secretaria de Agricultura: Domingos Paz
Secretário de Comunicação: Zeca Pinheiro
Secretário de Cultura: Joãozinho Ribeiro
Secretária de Administração e Previdência: Helena Castro
Secretário de Indústria e Comércio: Júlio Noronha
Secretário de Turismo: João Martins Neto
Secretário de Ciência e Tecnologia: Othon Bastos
Secretário do Trabalho e Economia Solidária: Terezinha Fernandes
Secretário de Direitos Humanos: Sálvio Dino
Secretário de Esportes: Mauro Bezerra
Secretário de Meio Ambiente: Othelino Neto
Secretário de Minas e Energia: Ricardo Ferro
Secretária de Cidades e Desenvolvimento Regional: Telma Pinheiro
Secretário Extraordinário da Igualdade Racial: João Francisco
Secretário do Desenvolvimento do Sul do Maranhão: Fernando Antunes
Secretária da Mulher: Lourdes Leitão Nunes Rocha
Secretário da Juventude: Weverton Rocha
Procurador-Geral do Estado: João Cláudio Pavão Santana
Corregedora-Geral: Néa Bello de Sá
Secretaria de Desenvolvimento Social: Margareth Cutrim

DISCURSO DO GOVERNADOR JACKSON LAGO NA PRAÇA MARIA ARAGÃO

Esta solenidade é o ato inaugural de um outro Maranhão. Um Maranhão que tem compromisso com seus filhos mais necessitados, com nossos irmãos esquecidos, com as crianças sem infância, os adultos sem esperança, as famílias sem porvir.

Conclamo todos os maranhenses para a grande tarefa de preparar o Maranhão para o seu destino de prosperidade e oportunidades. O governo que se inicia hoje tem um dupla e sagrada missão: restabelecer a autoridade do poder popular e montar as bases para a retomada da produção e do desenvolvimento.

Durante muitos anos coube ao povo maranhense participar da política como quem assiste a um espetáculo. E que triste espetáculo! Agora é hora do povo do Maranhão tornar-se o sujeito ativo da política. È hora de devolver o Maranhão para o povo Maranhense.
Você, homem e mulher maranhenses, serão partes deste governo. Vocês terão voz e vez no governo. Vocês terão voz e vez no governo que se inicia. Não há família melhor que a sua. Não há ninguém com mais direitos que você. Sua participação é tão valiosa quanto a de qualquer cidadão. No governo que se inicia hoje, sua presença é importante nos conselhos municipais, nas associações, nas escolas, nos fóruns de debates. A reconstrução do Maranhão é tarefa de todos os nós.

Este será também um governo dos movimentos sociais, das organizações da sociedade, dos sindicatos, das associações, das universidades. O governo de diálogo e da inserção social. Um governo de igualdade racial, de respeito às minorias, de reconhecimento às mulheres.

Nós políticos, não somos donos dos votos que nos foram confiados. Somos arrendatários da esperança do povo maranhense. Assumo o compromisso de fazer de cada ato, de cada gesto, de cada ação do meu governo um resgate dessa esperança.

Agradeço ao povo do Maranhão a graça que me concedeu de me confiar a sua mais alta investidura pública. Não por mérito meu, mas por força das circunstâncias que assim me permitiram a honra de ser portador do nobre sentimento de libertação.

Graças à determinação de seu povo, o Maranhão manda hoje, em alto e bom som, um recado para todo o Brasil. O Maranhão não tem dono! Somos um estado livre!
O dono do Maranhão é o povo do Maranhão.

Ao tornar-se o provedor do seu destino, o povo maranhense sepulta a velha política de favores e favorecimentos. As políticas públicas serão dirigidas para quem delas precisa. Os investimentos serão aplicados para o benefício da população mais necessitada.Meu governo não será contra pessoas ou grupos. Será contra métodos e práticas que tornaram o Maranhão o estado mais atrasado do país.

O Maranhão não é um estado qualquer. É um estado do qual podemos e devemos nos orgulhar. Somos a fronteira ecológica entre o semi-árido do nordeste e a exuberância do ecossistema amazônico. Temos as virtudes e as potencialidades de ambos. Somos o berço de magníficas águas ofertados em rios, riachos, lagos e igarapés que irrigam um chão fértil e generoso. Temos o segundo maior litoral do país e abrigamos o maior berçário de vida marítima nos santuários dos manguezais. Seja na imensidão dos lençóis, ao norte, nas escarpas ao sul, nas verdejantes planícies da baixada, o Maranhão é pródigo em beleza e riqueza.

No entanto, somos também um estado elitista e autoritário, que tem sido historicamente instrumento dos senhores de terras, repartidas entre poucos e privilegiados. Criamos um Maranhão dividido entre os que possuem tudo e os que nada possuem. Entre a fartura de poucos e a necessidade de muitos. Essa gigantesca dívida social tem que começar a ser paga. È para esse Maranhão dos muitos que não tem nada que este governo hoje se forma.

Somos os herdeiros de seculares esperanças frustradas, de bravos maranhenses, os balaios, que há quase duzentos anos lutaram pela liberdade, pela propriedade do solo e contra o arbítrio. Eles foram derrotados pelo poder imperial, mas a sua luta ainda é a nossa luta. A bandeira da Balaiada, a insurreição do povo maranhense, ainda nos inspira a derrotar o atraso, a combater a intolerância, a acreditar no nosso povo.
Não fui eleito sozinho. Trago comigo companheiros de jornada, legiões de pessoas que compartilharam esse sonho de liberdade e a crença na organização de um governo popular e democrático. Não citarei nomes, que são tantos, mas o destino quis que esta solenidade fosse realizada aqui nesta praça que simboliza e testemunha uma das mais ilustres combatentes pela liberdade. Poderia ser Reis perdigão, William Moreira Lima, Neiva Moreira. Maria Aragão, este também é o teu governo. Lembrando o poeta, quem entrar neste governo, pise mansamente, pois estará caminhando sobre os sonhos de Maria Aragão.

Quis também uma feliz circunstância política que o meu governo coincidisse com o segundo mandato do presidente Lula. Com ele palmilhei, há alguns anos, o chão do Maranhão. Conversamos com quebradeiras de coco, visitamos pescadores, trocamos idéias com lavradores, homens e mulheres do interior do Maranhão. Guardo dessa jornada a lembrança de uma amizade regada por um sentimento que nunca os afastou. O sentimento de justiça social. Tenho certeza de que terei no presidente, ou melhor dizendo, no companheiro Lula, o parceiro que o Maranhão precisa para fazer os investimentos necessários ao seu desenvolvimento.

O povo do Maranhão deu ao nosso presidente uma votação consagradora que merecerá a sua gratidão. Durante a campanha eleitoral, firmei compromissos com o povo maranhense. Tudo farei para cumprir cada compromisso de campanha. Nem todos serão possíveis já no primeiro ano. Alguns levarão tempo para se tornar realidade. A partir de hoje estarei lutando dia e noite para cumprir com a palavra que empenhei em praça pública, nas dezenas de municípios que visitei.

Todos lembram que meu dístico na campanha foi trabalho, saúde e educação para libertar o Maranhão. Não era apenas uma frase, um slogan. Era e continuará sendo uma declaração de princípio. Um compromisso que reitero aqui, nesta praça, com o povo da minha terra. È pelo trabalho, com saúde e com educação que o Maranhão construirá seu futuro de liberdade e oportunidades.

Este governo que hoje se inicia tem também um firme compromisso municipalista, que reafirmo perante as lideranças políticas da minha terra. Nasci e me criei no interior, e minha experiência de prefeito de nossa capital confirmou em mim a convicção de que não há desenvolvimento consistente sem a participação integrada e parceira dos municípios.

Recebe das mãos do governador José Reinaldo Tavares esta faixa e as responsabilidades de conduzir o nosso Estado. No passado, fomos adversários. Mas o governador José Reinaldo construiu, com alto sacrifício pessoal e político, o caminho para a libertação do Maranhão. Não cabe a mim agradece-lo. A sua recompensa, governador, é poder hoje mesmo, sair por entre esta multidão na praça com a cabeça erguida do dever cumprido. O seu papel nas atribulações do Maranhão contemporâneo não diminuirá aos olhos da história.

Para aqueles que comigo integrarão o governo, seja a professora na escola, o médico no hospital, o servidor em qualquer órgão público, todos vocês são também fiadores da liberdade e da esperança. O povo é o nosso patrão. È para o povo, especialmente os mais pobres, que devotaremos nosso trabalho de todos os dias.

Rogo a Deus que me Dê sua graça para enfrentar as dificuldades, para perdoar as ofensas, para renovar o ânimo, para ser justo, para reconhecer o erro, para perseverar no caminho certo. Disse o poeta que “todo vale a pena se a alma não é pequena”. È com a alma engrandecida pela confiança de vocês que eu assumo hoje o governo do Estado do Maranhão.

Muito obrigado.

Lugar: PORTOSMA
Fonte: Imirante e arquivo
Data da Notí£©a: 01/01/2007

Untitled