Hoje é terça-feira 07 de dezembro de 2021 # Futebol: Atlético-PR 0x0 Palmeiras; São Paulo 3x1 Juventude; Cuiabá 1x0 Fortaleza; Flamengo 0x1 Santos; Internacional 1x2 Atlético de Goiás e Chapecoense 0x1 Sport de Recife.
orizon supplier mandacaru Papai Noel propaganda1
HOME
Entrevista
 Ogmo/itaqui
Syngamar
Telex/Aniversários
 Agencias Marítimas
Soamar MA
Amigos da Marinha
Fotos & Imagens
Dicas/Serviços
Capitania dos Portos do Maranhão
The best of web
Fale conosco


Vale
 Consócio Alumar
Itaqui
 Site da Antaq
 Todos os portos
 Cartas Náuticas

Concursos
Prêmio Smart
Escoteiros em Foco
Cais do Jeep
Seminário Landlord
Dia da MULHER

Osvaldo Rocha
Comandante RAMOS
 Herbert Santos
Telex/Aniversários
 Humor
Ponto de Vista

José Clementino
Elson Burity
 Bento Moreira Lima

Aniversário Alumar
 Carta Pero Vaz
 Dia do Portuário
 Escoteiros em foco
 Nosso Papai Noel
 São Luis 409 anos
 Copa América 2019
 Cais do JEEP
 O Trem da Vale
Museu da Soamar
Presidentes do Brasil
Farol de Mandacaru
TV no Brasil: 70 anos
Hinos do Brasil

Pratimar
Petrobras
Portal Exportador
Banco Central
Receita Federal
Marinha do Brasil
Capitania Maranhão
Conapra
Policia Federal
Obra Prima CE











Vale quer construir 5 navios com financiamento do FMM
Informações dão conta de que o financiamento é de US$ 350 milhões, que de acordo com as regras do fundo, podem ser financiados em até 20 anos.

Depois de anos adotando política de afretamento de navios, a Companhia Vale do Rio Doce começa a rever sua estratégia na área de cabotagem: a empresa deu entrada no Conselho Diretor do Fundo de Marinha Mercante (FMM) com pedido de financiamento para a construção de cinco embarcações porta-contêineres.

Informações dão conta de que o financiamento é de US$ 350 milhões, que de acordo com as regras do fundo, podem ser financiados em até 20 anos.

Para que o financiamento seja aprovado, o projeto precisa ser avaliado durante reunião do conselho do FMM, ainda sem data para se realizada. Nesta ocasião, os membros do conselho analisarão se o projeto é prioritário.

Em caso positivo, o que é esperado, o pedido de crédito é encaminhado ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), gestor dos recursos do fundo. A instituição avalia a solvência e as garantias da empresa solicitante, neste caso a Docenave, subsidiária da área de logística de navegação da Vale.

O financiamento do FMM é feito com taxa de 2,5% a 5,5% ao ano, mais correção pela TJLP ou de variação cambial. Entre as exigências para o financiamento está a de que as embarcações sejam construídas no Brasil. Desta maneira, estariam preparados para receber os pedidos os estaleiros Mauá-Jurong, Eisa, RioNaval e Atlântico Sul. O único empecilho seria o fato de que todos encontram-se abarrotados de pedidos dos cargueiros da Transpetro e de plataformas da Petrobras.

Atualmente, a Docenave opera com cinco navios afretados da Frota Oceânica, que opera cabotagem. A frota própria da empresa - de três navios - é antiga, com mais de 18 anos de operação, e, segundo já declarou o próprio presidente da Vale do Rio Doce, Roger Agnelli, a idéia é vendê-los.

A empresa terá de esperar para ter o projeto aprovado, isto porque a próxima reunião do conselho do fundo só deve ocorrer depois que o presidente Lula decida os nomes para os ministérios. O FMM está sob o escopo do Ministério dos Transportes.

Os recursos do fundo são formados a partir da cobrança de uma taxa de 10% sobre os embarques de cabotagem e de 25% nas operações de longo curso. A Docenave opera desde a sua criação, em 1962, nas áreas de transporte marítimo e apoio portuário.

Com o objetivo de ter maior flexibilidade em suas operações internacionais, a empresa criou, em 1967, a Seamar Shipping Corporation, sediada na Libéria e gerenciada integralmente no Brasil pelo Grupo Docenave.

Atualmente, a subsidiária opera, além dos navios, uma frota de 19 rebocadores, com potência para atendimento a navios graneleiros de grande porte. Os rebocadores estão aptos, também, a atender operações de salvatagem de navios, em qualquer porto do Brasil.

Fonte: Sindmar

Data: 09/03/2007

Untitled